Captura de ecrã 2017-07-24, às 18.46.09

“Esta é uma exposição que pensa imoderadamente as questões da gentrificação. Mas a reflexão que seduz o discurso de Tiago Casanova em For Sale situa-se para além das entrelinhas subjacentes a este assunto. É um olhar orgânico de transitividade entre a arquitetura, o turismo, a política urbana e a própria condição humana.
Num tempo pautado pelo aumento exponencial da oferta de alojamento local, quase ao mesmo ritmo das dúvidas avulsas sobre as normas condóminas, a ausência de fiscalidade, o questionamento sobre as políticas sociais, as interrogações sobre o papel dos municípios nestes processos e os pedidos de acessos às informações de um mercado intransparente, o apelo ao debate deve começar precisamente no rumo do ordenamento do território e no futuro das cidades.
Os desequilíbrios são evidentes e envolvem, por isso, matérias sem consenso. No imediato, medem-se mais as vozes dos interesses e dos interessados (…).”

Assim começa o texto da exposição For Sale do artista Tiago Casanova que escrevi a convite do próprio.
Com curadoria do colectivo Petri [with “y”] a exposição esteve patente de 22 de julho a 26 de agosto de 2017 na Galeria Painel.

 

Mais info: For Sale – Tiago Casanova – cargocollective.com

 

Curadoria Petri [with “y”] Artista Tiago Casanova Texto Andreia Garcia Galeria Espaço Painel


Andreia Garcia (Guimarães, 1985) é arquiteta, curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade, do design e da cenografia urbana. Fundadora do Andreia Garcia Architectural Affairs, atelier sediado no Porto, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, de prática curatorial e de projetos editoriais.

 

De 2011 a 2012, foi comissária do projeto Smaller Cities e coordenadora dos projetos da Paisagem Criativa na Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura. Em 2015 foi curadora do Projecto Memória que celebrou o centenário do Theatro Circo de Braga e que culminou com o lançamento do livro “O Theatro e a Memória”. Em 2016, foi responsável pela coordenação editorial e programação da Representação Portuguesa na XXI Trienal de Milão.

 

Em 2017, assume a curadoria do programa de arquitetura para a Bienal de Arte Contemporânea da Maia e é convidada a pensar duas exposições para a Galeria Vertical, no Silo auto do Porto.

 

Andreia Garcia é mestre em Arquitetura, com a dissertação intitulada Arquitectura e Cinema. Jacques Tati e Le Corbusier – Diálogos sobre o Modernismo, pelo Departamento de Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI, 2008).
O doutoramento que concluiu em Teoria e História da Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (FAUL, 2015) recebeu o Prémio Professor Manuel Tainha, pela melhor Dissertação no Doutoramento em Arquitetura de 2014/2015. Em 2016 lançou o seu primeiro livro individual intitulado Espaço Cénico, Arquitectura e Cidade, pela Caleidoscópio.
Desde finais de 2016 é cofundadora, com Diogo Aguiar, da Galeria de Arquitectura, um espaço independente dedicado à reflexão sobre a arquitetura, no Porto.
É professora auxiliar convidada, desde 2017, no Curso de Arquitetura da Universidade da Beira Interior e, desde 2018, na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho.

 

 

Colaboradores

 

2018.

Margarida Antunes (PT)

Clara Asperilla (ES)

 

2017.

Inés Brotons (ES)

 

Contactos
praça coronel pacheco nº2, 4050-453 Porto
andreiasogarcia(at)gmail.com