18011089_664211570444683_382867644025297090_n

No pressuposto da vontade de uma análise à urbanidade, tendo certo que o antigo olhar sobre a realidade caminha no sentido do declínio, a exposição Manipulation: The Return of Utopia desafiou as ferramentas contemporâneas através de um jogo de utopias, num novo contexto de verdade, o da pós-utopia.

Neste sentido, Tiago Casanova desenvolveu e concretizou, através da configuração videográfica adaptada à instalação uma obra original, perseguidora do edifício idealizado de planta circular, posicionado num contexto (des)figurado e abstrato, que pretendeu assumir uma forte relação com o corpo e a percepção do espectador, iniciando um processo de várias verdades sobre uma verdade, de desorientação sobre uma orientação, de reflexo da sociedade sobre a precisão na captação do gesto, de desenvolvimento crítico sobre um novo ritmo de observação. Filipe Raposo integrou também a exposição, com a criação da sonoplastia que pretendeu reforçar o apelo de sentido(s) da experiência espacial.

Exposição Manipulation: The Return of Utopia Curadoria Andreia Garcia Instalação Tiago Casanova Sonoplastia Filipe Raposo Organização Arquivo 237 . Rua da Rosa 237 . Lisboa Data 19 – 26 de Abril


Andreia Garcia (Guimarães, 1985) é arquiteta, curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade, do design e da cenografia urbana. Fundadora do Andreia Garcia Architectural Affairs, atelier sediado no Porto, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, de prática curatorial e de projetos editoriais.

 

De 2011 a 2012, foi comissária do projeto Smaller Cities e coordenadora dos projetos da Paisagem Criativa na Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura. Em 2015 foi curadora do Projecto Memória que celebrou o centenário do Theatro Circo de Braga e que culminou com o lançamento do livro “O Theatro e a Memória”. Em 2016, foi responsável pela coordenação editorial e programação da Representação Portuguesa na XXI Trienal de Milão.

 

Em 2017, assume a curadoria do programa de arquitetura para a Bienal de Arte Contemporânea da Maia e é convidada a pensar duas exposições para a Galeria Vertical, no Silo auto do Porto.

 

Andreia Garcia é mestre em Arquitetura, com a dissertação intitulada Arquitectura e Cinema. Jacques Tati e Le Corbusier – Diálogos sobre o Modernismo, pelo Departamento de Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI, 2008).
O doutoramento que concluiu em Teoria e História da Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (FAUL, 2015) recebeu o Prémio Professor Manuel Tainha, pela melhor Dissertação no Doutoramento em Arquitetura de 2014/2015. Em 2016 lançou o seu primeiro livro individual intitulado Espaço Cénico, Arquitectura e Cidade, pela Caleidoscópio.
Desde finais de 2016 é cofundadora, com Diogo Aguiar, da Galeria de Arquitectura, um espaço independente dedicado à reflexão sobre a arquitetura, no Porto.
É professora auxiliar convidada, desde 2017, no Curso de Arquitetura da Universidade da Beira Interior e, desde 2018, na Escola de Arquitectura da Universidade do Minho.

 

 

Colaboradores

 

2018.

Margarida Antunes (PT)

Clara Asperilla (ES)

 

2017.

Inés Brotons (ES)

 

Contactos
praça coronel pacheco nº2, 4050-453 Porto
andreiasogarcia(at)gmail.com