Captura de ecrã 2017-07-11, às 11.57.16

O desafio desta exposição considera o edifício e sobre ele apresenta ideias passíveis de gerar reflexões e dinâmicas individuais sobre experiências e práticas espaciais.
Endlsess Space – Propositions for the Continuous é assim uma exposição sobre a experiência do percurso helicoidal proporcionado pelo Silo Auto. O trajeto automóvel serve de base a uma reflexão contemporânea acerca das questões da arquitetura, da sua experiência, da sua história e do seu uso futuro, a partir de explorações artísticas.

A relação entre a arquitetura, a exposição e o movimento contínuo como percurso é intrínseca, há condições fundamentais comuns. É nesta condição que reside o paradoxo da experiência da exposição que se apresenta, e é nela que surge o pano de fundo da mesma.

 

Nuno Cera (Sem título (LOS ANGELES X2, 2009)
Jérémy Pajeanc (Tour de Contrôle, 2017)
Luísa Salvador (Trilhos, 2017)
Fernanda Fragateiro (Demolição 3, 2017)
João Mendes Ribeiro (In the looking glass, 2017)
Horácio Frutuoso (Fugitivo, 2017)
Manuel Graça Dias (A encomenda, 2013)

Título Endless Space: Propositions for the Continuous Curadoria Andreia Garcia Obras Nuno Cera, Jérémy Pajeanc, Luísa Salvador, Fernanda Fragateiro, João Mendes Ribeiro, Horácio Frutuoso, Manuel Graça Dias Design Gráfico Studio Dobra Organização Porto Lazer Local Galeria Vertical, Silo Auto Datas 7.07 – 29.10.2017


Andreia Garcia (Guimarães, 1985) é arquiteta, curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade, do design e da cenografia urbana. Fundadora do Andreia Garcia Architectural Affairs, atelier sediado no Porto, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, de prática curatorial e de projetos editoriais.

 

De 2011 a 2012, foi comissária do projeto Smaller Cities e coordenadora dos projetos da Paisagem Criativa na Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura. Em 2015 foi curadora do Projecto Memória que celebrou o centenário do Theatro Circo de Braga e que culminou com o lançamento do livro “O Theatro e a Memória”. Em 2016, foi responsável pela coordenação editorial e programação da Representação Portuguesa na XXI Trienal de Milão.

 

Em 2017, assume a curadoria do programa de arquitetura para a Bienal de Arte Contemporânea da Maia e é convidada a pensar duas exposições para a Galeria Vertical, no Silo auto do Porto.

 

Andreia Garcia é mestre em Arquitetura, com a dissertação intitulada Arquitectura e Cinema. Jacques Tati e Le Corbusier – Diálogos sobre o Modernismo, pelo Departamento de Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI, 2008).
O doutoramento que concluiu em Teoria e História da Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (FAUL, 2015) recebeu o Prémio Professor Manuel Tainha, pela melhor Dissertação no Doutoramento em Arquitetura de 2014/2015. Em 2016 lançou o seu primeiro livro individual intitulado Espaço Cénico, Arquitectura e Cidade, pela Caleidoscópio.
Desde finais de 2016 é cofundadora, com Diogo Aguiar, da Galeria de Arquitectura, um espaço independente dedicado à reflexão sobre a arquitetura, no Porto.
É, desde 2017, professora auxiliar convidada no Curso de Arquitetura da Universidade da Beira Interior.

 

 

Colaboradores

2017.

Inés Brotons (ES)

 

Contactos
praça coronel pacheco nº2, 4050-453 Porto
andreiasogarcia(at)gmail.com