120_JAF7522

Na última semana de abril de 2018 tive o privilégio de ser convidada para a 4ª edição do Concéntrico Festival Internacional de Arquitectura y Diseño de Logroño.
Convidada por Javier Peña Ibanez e com o apoio do Programa de Acción Cultural Española (PICE) dei uma conferência sobre comissariado, investigação, docência e difusão da arquitectura em formatos contemporâneos, num painel para o efeito composto com nomes de Antoine Aubinais, Michal Piernikowski and Pola Mora.

Evento Concéntrico Festival Internacional de Arquitectura y Diseño de Logroño Organização Javier Peña Ibanez, Fundación Cultural Arquitectos de la Rioja, Colégio Oficial de Arquitectos de la Rioja, Ayuntamiento de Logroño, Gobierno de La Rioja, ader, CEdiR Local Logroño, Spain


Andreia Garcia (Guimarães, 1985) é arquiteta, curadora, investigadora e professora em áreas da arquitetura, da cidade e da cenografia urbana. Fundadora do Andreia Garcia Architectural Affairs, atelier sediado no Porto, tem-se especializado na disseminação da arquitetura através da investigação, de prática curatorial e de projetos editoriais.

 

Em 2012, na Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012, foi coordenadora dos projetos da Paisagem Criativa na área de programação da Cidade e comissária do projeto Smaller Cities, focado na criação de uma rede internacional de pensamento cultural no contexto de cidades de pequena e média dimensão; em 2015, foi curadora e programadora do Projeto Memória que celebrou o centenário do Theatro Circo de Braga, que culminou com o lançamento da publicação O Theatro e a Memória, com a sua coordenação editorial e com a itinerância da exposição em 37 freguesias a norte de Portugal; em 2016, foi responsável pela coordenação editorial e programação da Representação Portuguesa na XXI Trienal de Milão; em 2017, assume a curadoria do programa da área da Arquitetura da Bienal de Arte Contemporânea da Maia’17, tendo apresentado Shaping Shape, uma proposta que convocou a uma reflexão que assentou na consolidação da memória do lugar através do desafio à transformação e à exploração da forma (como matéria arquitetónica e urbana) a partir da Arquitetura e da Arte; no mesmo ano, é convidada a conceber duas exposições para a Galeria Vertical, no Silo-Auto do Porto, onde explorou as fronteiras entre a Arte e a Arquitetura em diálogo com a arquitetura do edifício – Endless Space. Proposition of the Continuous e Rhythm of Distances: Propositions for the Repetition; em 2018, concebeu, programou e fez a curadoria da primeira edição do MAM (Mês da Arquitetura da Maia), dedicado à vida e obra do arquiteto João Álvaro Rocha; em 2019, apresenta o MAM’19 intitulado Fast Forward para o qual convocou oito ateliers de arquitetura emergentes e quatro críticos de arquitetura a imaginar a Maia de 2119 – uma exposição sobre o futuro do território, da paisagem, do ambiente, da arquitetura, da tecnologia, da mobilidade e da sociedade; no presente ano, assume a curadoria geral da Bienal de Arte Contemporânea da Maia ’19, sobre o título import/export, que se representa segundo quatro eixos disciplinares (arquitetura, design, artes plásticas e novos media) e se expõe em dezasseis contentores disseminados por sete distintos pontos do território da Maia. 

 

Andreia Garcia é mestre em Arquitetura, com a dissertação intitulada Arquitectura e Cinema. Jacques Tati e Le Corbusier – Diálogos sobre o Modernismo, pelo Departamento de Arquitetura da Universidade da Beira Interior (UBI, 2008).
O doutoramento que concluiu em Teoria e História da Arquitetura pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa (FAUL, 2015) recebeu o Prémio Professor Manuel Tainha, pela melhor Dissertação no Doutoramento em Arquitetura de 2014/2015. Em 2016 lançou o seu primeiro livro individual intitulado Espaço Cénico, Arquitectura e Cidade, pela Caleidoscópio.

 

Em 2017 é Professora Auxiliar Convidada na Escola de Arquitetura da Universidade do Minho (EAUM) e desde 2017 é Professora Auxiliar Convidada na Universidade da Beira Interior (UBI). 

 

Nos últimos anos tem-se afirmado na prática da arquitetura, tendo o seu trabalho sido já selecionado para os Prémis FAD (2018 e 2019), para os Dezeen Awards (2019) e publicado em revistas internacionais de especialidade como Dezeen, Domus, Designboom, Archdaily, entre outras.

 

Escreve regularmente para revistas de especialidade. Os dois últimos artigos podem ler-se no site da ARQUIA PROXIMA – As Tipologias, amanhã e Optimismo referencial– e na AMAG.14 – Narratives of Hybridization – sobre o trabalho do David Adjaye.

 

Desde finais de 2016 é cofundadora, com Diogo Aguiar, da Galeria de Arquitectura, um espaço independente dedicado à reflexão sobre a arquitetura, no Porto.

 

Team

Andreia Garcia . fundadora . arquitecta principal e curadora
andreia@andreiagarcia.com

Margarida Antunes (2018-) . coordenadora de produção
margarida@andreiagarcia.com

Clara Puentes (2018-) . arquitecta
clara@andreiagarcia.com

Martzel Irazabal (2019-) . arquitecto estagiário

 

 

Colaboradores Anteriores

Cecilia Carrioli (2019) . arquitecta estagiária

Clara Asperilla (2018) . arquitecta estagiária

Inés Brotons (2017) . arquitecta estagiária

 

 

Prémios

2018
Premis FAD | selecionado, Interiorismo
Prudêncio Studio

2015
Manuel Tainha’ Professor Award | Prémio
Melhor tese de doutoramento 2014/2015


Contactos

praça coronel pacheco nº2
4050-453 Porto